11/07/2018

Cervejas para esquentar o inverno

Destemperados

Atire a primeira pedra, ou encha o primeiro copo, quem nunca optou por trocar o vinho pela cerveja nos jantares no inverno. Muito consumida no verão, de forma bem gelada, essa bebida maltada tem conquistado cada vez mais fãs também na estação mais fria do ano. Ainda que todos os rótulos sejam bem-vindos e apreciados, há estilos com características mais propícias para a época.

- O pessoal tem a tendência natural a procurar as mais encorpadas, com maior presença do malte, e com teor alcoólico um pouco mais alto, acima de 8%. Essas são justamente as principais propriedades das chamadas cervejas de inverno - explica Andrea Da Matta, sócia-proprietária da Zitas Tap House, de Porto Alegre.

O maior nível de álcool é responsável por passar a sensação de aquecimento. Por causa disso, costumam ser consumidas em temperatura ambiente, à moda europeia.

- A escola belga é muito conhecida quando nos referimos a essas cervejas. Os aromas e sabores são mais intensos, por isso é comum usar copos de boca mais largas e que se beba de maneira mais moderada, para melhor apreciação - conta.

Andrea conta que cada estilo tem um processo diferente de fabricação e alguns rótulos de empresas maiores passam até mesmo por um processo de envelhecimento em barris de uísque ou de carvalho americano. Entre os estilos que fazem sucesso, ela destaca a Double IPA, Russian Imperial Stout, Dubbel, Einsbock e Baltic Porter.

ALGUNS RÓTULOS PARA PROVAR

Mandala Imperial Stout, da Tupiniquim

Com 12% de teor alcoólico, essa cerveja tem aromas de chocolate amargo, café e baunilha. Produzida por uma cervejaria gaúcha, ela leva aveia e malte de trigo, e seu amargor é moderado.

Russian Imperial Stout, da Bierland
Inspirada nas originais britânicas, com 8% de teor alcóolico, tem sensação aveludada, com aromas e sabores fortes vindos dos maltes torrados e notas de frutas secas escuras, chocolate, toffe e café.

Schneider Weisse Aventinus Eisbock, da Weissbierbrauerei G. Schneider & Sohn
De coloração marrom escura com reflexos avermelhados, boa formação de espuma e perfil licoroso, tem 12% de teor alcoólico. O aroma é frutas secas, figo, ameixas e caramelo, com final é adocicado e quente.

Delirium Tremens, da Brouwerij Huyghe
Um dos nomes mais conhecidos quando se fala em Belgian Golden Strong Ale, essa cerveja é frisante, de colarinho cremoso. Tem 8,5% de teor alcoólico e suas notas frutadas, cítricas e florais são combinadas a um toque picante de especiarias e amargor intenso.

Tripel, da Dominato
De cor acobreada, apresenta aroma de ésteres frutados combinado com floral do coentro a aroma de lúpulo. Seu sabor é marcante e levemente picante, com final moderadamente seco. Tem 8,6% de teor alcóolico

Chimay Blue, da Chimay
Inicialmente produzida como uma cerveja natalina, tem aromas de caramelo,toffee, frutas passas e notas de morango. Com amargor moderado, seu sabor é adocicado em corpo denso, o que sustenta o alto teor alcoólico de 9%.