19/11/2014

Bar Lobo: um lobo de olhos puxadosFree Pass

Diogo Carvalho

Pode jogar no Google ali a seguinte busca: "menos de 24 horas em Barcelona o que fazer?", que a resposta vai ser "óbvio que jantar no mínimo duas vezes né, beijos". Beijos não, besos, eu acho. Porque é Barcelona né.

Isso que fizemos, porque cada segundo é precioso e não dá para esquecer que dormimos pagando em euro. Portanto, quando mais se dorme, mais caro fica a viagem. Durma menos e curta mais.

Saímos do Jai-ca e começamos a tomar o caminho de volta para o hotel, mas de um jeito diferente. Aquele jeito meio cachorro pidão que fica olhando o tempo todo para as pessoas ao redor em busca de um convite, de um sinal divino, uma luz, sei lá.

E essa luz brilhou a partir do Bar Lobo, um lugar que ficava praticamente na esquina do hotel. Ou seja, voltamos caminhando de Barceloneta ao Raval pelo porto, e depois subindo a Rambla, para achar um lugar do ladinho do hotel. Destino, seu malandrinho!

Tudo bem que o ideal seria, a uma altura dessas do campeonato, variar um pouco o cardápio e comer algo que não fosse tapas. Mas prefiro sempre olhar o copo meio cheio, e não meio vazio. Ou seja, otimizar o tempo curtindo ao máximo o que tem de melhor na cidade, que inevitavelmente passa por tapas.

O Bar Lobo é tão lindo que dá vontade de morar. Tudo é lindo, desde as luminárias feitas de livros, as cadeiras descombinando, uns vazinhos nada-a-ver nas mesas, a trilha sonora...

Até essas prateleiras feitas com caixas de vinho, decoradas com cartazes de programas culturais da cidade. Diria até que a melhor definição pra isso tudo nem é "lindo", e sim: tem história. Cada detalhe tem história.

História que, da mesma forma, é contada pelos pratos. Porque foi justo a partir do tataki de atum com guacamole que percebemos a pegada oriental do Lobo.

Aí ele voltou a ser catalão da gema na tortilla de patatas. Sempre lembrando que já havíamos jantado, então podemos dizer que isso tudo estava sendo uma espécie de sobremesa.

Nada melhor então do que fechar essa "sobremesa" com umas berenjenas fritas com tarê que meu Pai do céu, foi talvez uma das coisas mais simples e geniais dos últimos tempos. Tanto que repetimos. Três vezes.

O Raval é massa porque, mesmo já sendo bem turístico, ainda guarda surpresas como essa em meio às suas ruelas espremidinhas como o Bar Lobo. Onde é possível jantar em grande estilo pagando 28 euros. Barcelona me tem!


Bar Lobo
Carrer del Pintor Fortuny, 3 - Raval
Barcelona - Espanha
Fone: +34 934 81 5346
Aceita todos os cartões
http://grupotragaluz.com/en/restaurante/bar-lobo/

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

Diogo Carvalho