27/07/2011

DBGB Kitchen and Bar: Nasci aqui e não sabia!Free Pass

Diogo Carvalho Sabe aquela história de que "a primeira impressão é a que fica"? Tava eu bem belo um dia fazendo sei-lá-o-que, e caí de maduro na página do DBGB Kitchen and Bar do Daniel Boulud. E isso beeeem antes de decidir essa viagem a NY com a Re. (Corta. Foco no seguinte agora: eu, assim como toda a torcida do Flamengo, tenho pânico de sites com música. Aquela idéia maldita do "dono do site" de querer que as pessoas ouçam uma musiquinha enquanto navegam ali pra dar um clima é ABOMINÁVEL). Deu, segue o filme e volta novamente a cena em mim acessando sabe-se lá porquê o site do Daniel. Eis que do nada, no que abre o site, começa a tocar uma sonzeira clássica, um The Clash muito firmeza que automaticamente me fez botar os fones e aumentar o volume. Cara, pirei no lance e fiquei com vergonha, durante um tempo, de dizer que tinha achado um site que tinha música boa (btw, acho que essa é a primeira vez que digo isso... putz, cês vão me julgar né?). De lá pra cá botei definitivamente na minha cabeça que tinha que conhecer esse lugar, custe o que custar. Ele conseguiu me transmitir um lance tão forte que eu já falava dele como se tivesse me criado ali. Como o universo conspira a favor de quem pensa positivo, acabou rolando essa trip e ela começou a ser planejada A PARTIR desse lugar. Fui atrás de informações e conversei com muita gente sobre a história do Daniel, em especial sobre o DBGB Kitchen and Bar. Daí, verdade ou não, me contaram que o DBGB tem esse nome em homenagem ao famoso CBGB (Country, Bluegrass and Blues), um famoso bar que era o berço da cena Punk dos anos 70 onde Lou Reed, Velvet Underground, Iggy Pop e New York Dolls praticamente batiam ponto. Prefiro acreditar nessa versão, porque além de bacana, ainda tem tudo a ver com a trilha do site. Além do que, taí um grande exemplo de lugar com história, que nasce com Pedigree, tem o que contar e tem "notícia". Resumo da ópera: tá tudo muito bom, tudo muito bem, e cá estamos nós. Soube que o lugar é bem cheião e que, pra evitar contratempos, é bom reservar. Ainda mais tratando-se de uma cidade como NYC. Por indicação do mestre Riq Freire, descobri o Open Table e fiz todas as minhas reservas por ali, com exceção de um ou de outro que não são "conveniados". Ali, coloquei uma observaçãozita que era "caras, meio que to indo do Brasil praí só por causa de vocês. Se puxem e façam esse lance valer a pena, pô!". Enfim, vá que os caras resolvam ler né ;-) Chegamos lá na hora marcada e foi tudo um sucesso. A gente tinha vontade de dançar, mesmo antes de começar a beber. Eu só pensava coisas do tipo "putz, se tivesse mais uma galera aqui com a gente e se a gente já tivesse na segunda garrafa de vinho, ia virar uma gandaia isso daqui porque o clima é muito contagiante. A galera ia estar dançando em cima das mesas e tirando foto abraçado com a equipe, de gravata na cabeça e tudo". Papo vai, papo vem, ainda estávamos meio encabulados com o lance das fotos porque esse terreno ainda não tinha sido dominado. Tava tudo lindo, mas talvez o pessoal não fosse receber bem flashes e etc. Tanto é que as duas fotos das entradas, logo abaixo, mostram que comecei os clicks por elas, ainda com o celular, e só depois que tivemos coragem de engatilhar a câmera pra ter essas outras imagens. Aí ó, ainda no tempo do celular, a primeira entradinha: aspargus & fried egg pra Re. Desnecessário esclarecer que os culpados por ela ter feito esse pedido foram "aspargos" e "ovo". Simples. Tem como o cara ser ousado e conservador ao mesmo tempo? Porque acho que fui isso. Ao mesmo tempo que ousei pedindo um DBGB Dog, também pode ser considerado um pedido conservador por não ter nenhuma grAAAAaaaande novidade num hot dog. Mas pô, um cachorro-quente do Daniel Boulud é que nem um SudDog da Roberta Sudbrack, tem seu valor! Na hora dos pratos principais foi mais ou menos a mesma coisa. A Re mandou um Diver Scallop & Shrimp Brochette com um "carnaroli" dando um suporte, alho poró e um toque de limão. Foi um sucesso absoluto. Seguindo a minha linha Punk Rock americano, estraçalhei uma sugestão do garçom que ficou nosso melhor amigo logo em seguida, um Frenchie Burger, com confit de barriga de porco. Precisa falar mais alguma coisa? Tudo isso, e uma garrafa de vinho depois, decidimos por compartilhar uma mesma sobremesa: Black & Withe Chocolate cake Bruleé com sorvete caseiro de vanilla. Tá? Beijo! Lembra que disse lá em cima ter feito uma observaçãozita na hora de efetuar a reserva pela internet, mesmo sem saber se os caras liam ou não as observações? Pois então, no final, antes da conta, o garçom nosso amigo veio com um suflê delicioso de surpresa, que até agora não conseguimos identificar do que era feito mas que derretia suavemente na boca. Ele concluiu ainda torcendo para que nossa viagem tivesse começado com o pé direito e desejando que siga assim, em alto nível. Cara, eles não só leram a minha observação da reserva, como ainda nos deram essa sôbre de presente!! Sei lá o que dizer agora. Tinha uma vontade absurda de conhecer esse lugar por tudo que ele representa. Conheci. Me apaixonei. Superou incrivelmente minhas expectativas por tudo que relatei acima. Não tínhamos vontade nenhuma de ir embora, fizemos mil e um planos de voltar, patati patatá. Com 65 dólares por pessoa, realizei um sonho. Mas ganhei outros tantos agora, porque fiquei com o compromisso de levar a Re em todos os outros Boulud's

" style="color:#ff9900">DBGB Kitchen and Bar 
299 Bowery, entre a Houston e a 1st. 
Lower East Side - NYC 
Fone: 212 933 5300 
www.danielnyc.com 
Todos os cartões

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

Diogo Carvalho