13/09/2012

Ei, psiu! Aqui se cozinha escondidinho...PE

Lilia Carvalho

... se come escondidinho, só se acha bem escondidinho, só repete se for escondidinho e tu só indica se for bemmmm escondidinho, porque é assim que funciona o Cozinhando Escondidinho, do Chef Rivandro Franca. Em uma casa escondidinha e sem placa, no bairro de Casa Amarela, entre quatro paredes, se acha o mestre da culinária sertaneja. Em meio as suas panelas e suas gostosuras, ele oferece sabores que estão verdadeiramente escondidinhos na nossa memória. Além disso, nos recebe com muita simpatia...

Vocês entendem agora, que para se chegar aqui tem que tá bem escondidinho? Para entrar mais ainda no clima da proposta, você precisa seguir por mais esse caminho para encontrar o danado do escondi... (tá bom! não vou mais repetir essa palavra até chegar a foto do bendito.)

No salão de um cabra da peste precisa mesmo de uma decoração com muita história pra contar...

Os utensílios estão todos espalhados pelo salão, mas com uma única finalidade: a afetividade. Entre tábuas e assadeiras, os amigos e cozinheiros que por aqui passam, deixam seu carinho.

Quase que assinei uma dessa em nome dos Destemperados Brasil... (na próxima, posso assinar? por favor!)

Entre fogão, cachaça curada e adormecida, vamos encontrando dizeres espalhados dando uma forma ilustrada e encantada ao lugar.

A casa com três ambientes não deixa em branco nenhum espaço.

Até as paredes ele ilustrou com muito humor...

Pra engrossar o caldo, escolhe tua colher e bora começar esse muído...

Disco de batata doce com camarões e castanha de cajú e coco ralado queimado.

Tudo no cardápio tem valor justo, justíssimo. Foi um festival de entradas... Moqueca de camarão na quenga - com banana da terra e farofinha de dendê com toque de curry.

A codorninha frita - com cubos de queijo coalho derretidos, puxado na manteiga de garrafa e mel de engenho picante

Combinação certeira! - não sobrou nenhum ossinho...

Agora, o bendito escondidinho de banana e carne de sol - carne gratinada com queijo sobre o purê de banana da terra.

Depois, chegou o “cumê” principal... Pirão de coalho na cumbuca virada - feijão verde, arroz, carne de sol puxada na manteiga de garrafa, servido com pirão de queijo coalho

Seguido da Mocofava - arroz branco, farofa d`água, caldo de mocotó, fava, calabresa e charque. Esta receita foi presente do amigo e chef Rodrigo Oliveira, do Mocotó/SP. I <3 FAVA.

Como já cantava Tom Zé, "Faça suas orações uma vez por dia,  depois mande sua consciência junto com os lençóis pra lavanderia." Traz o doce, porque esse é de lascar! Triângulo amoroso (dos sonhos insanos ) - bolo de rolo montado sobre chocolate quente, sorvete e chocolate quente, finalizado com sorvete de creme.

Como nordestino, geralmente, come muita carne seca, engrossa com farinha, faz massa com macaxeira e empana com fuba, não tem como se cobrar muito. Já estou cansada de ler que a comida é barata. Vão tomar no verbo, seus filhos da letra! Passa a régua e me dá esse nego bom.

Mas, Rivandro poderia até ganhar "uns mirré" a mais, porque sua comida não tem "parea" com nenhum outro regional.

A prosa e o abraço do chef foram grátis e o “cumê”...

Para as 3 senhoritas magrelas e dos “zôi grande”, deu 78 reais sem bebidas.

Cozinhando Escondidinho
Rua Conselheiro Peretti, 106 - Casa Amarela
Recife/PE
Fone: (81) 3451-0599
Cartões: Visa e Mastercard

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

Lilia Carvalho