14/09/2012

Izakaya Issa: Japa de verdade! Free Pass

Lela Zaniol

Costumo fazer listas de coisas que quero fazer e de lugares que quero conhecer. Mentira, nem tenho, mas não sabia como começar a contar sobre minha ida ao Izakaya Issa... Agora segura minha mão e vem comigo! A fachada do lugar é muito discreta, como a maioria dos lugares que passamos. (Ignorem o Diego na foto, ele estava muito entusiasmado.)

O espaço é pequeno e são poucas mesas. Tudo é comandado pela Dona Margarida e mais duas ajudantes.

Nos acomodamos junto ao balcão para não perder nenhum detalhe.

De frente para a prateleira das biritas ficava difícil decidir, até que umas das atendentes chegou explicando que o lance ali era tomar saquê e a versão japa da vodka, um destilado chamado shochu.

Então tá! Para o Diego o shochu.

Apesar de forte, é bem saboroso. Se eu tomar dois desses já saio cantando a macarena em japonês.

Pra mim, um saquê geladinho e só.

Manja pelego que não entende nada de comida japa? Prazer, pelego. Tudo nessa vida é uma questão de oportunidade e por mais que tenhamos alguns restaurantes orientais aqui no sul, nós não temos nada próximo do tipo de comida que se encontra no bairro da Liberdade em São Paulo, por isso minha referência de japa é muito pobrinha.  Seguindo as dicas do nosso amigo Andre Mifano começamos com o Otoshi, que são quatro entradinhas para abrir os trabalhos.

Depois, um negócio simplesmente fantástico, o Takoyaki, que era um tipo de “bolinho” com recheio de polvo e coberto por umas laminas de gengibre bem fininhas que com o calor dos bolinhos ficavam se movendo lembrando o movimento de algas. Como diriam meus amigos de Floripa: “cozaleenda” .

Agora o mesmo prato mais de perto.

Na sequência, o  Sara Udon, um macarrão torrado com legumes, carne de porco e frutos do mar. O macarrão vinha durinho e ia cozinhando com o caldo. Sério, tô babando no teclado enquanto penso sobre esse prato.

Pra finalizar, ainda pedimos um Katsudon, que era porco à milanesa (preciso continuar?) , uns temperos delicia, arroz e OVO (I die!) .  

Gente, olha a querida da Dona Margarida aí falando sobre os pratos. Ela é casada com o Masanobu Haraguchi, que é proprietário do Ban e que também foi muitíssimo recomendado.

Tudo sobre essa noite foi fantástico: minhas gafes ao usar shoyo nos pratos que não deveria, minha blusa toda suja de comida e até meu soluço depois de entornar o meu saquê e o restinho do shochu do Diego. Tanto que pagamos os 87 reais cada um com um sorriso no rosto. 

Izakaya Issa
Barão de Iguape, 89 - Liberdade
São Paulo/SP
Fone: (11) 3208-8819
Cartões: Visa e Master



Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

RS Lela Zaniol