22/10/2019

Zazá Bistrô: para viver um amor tropical | Rio de JaneiroRJ

Antonella Nery

O QUE É: restaurante descontraído de culinária tropical focado em frutos do mar
IDEAL PARA: almoços e jantares despreocupados com os amigos e família 
PROVAMOS E RECOMENDAMOS: tapas em tábua (R$ 75), croquetas de cordeiro (R$ 45), polvo na chapa (R$ 95), shishbarak (R$ 89), camarão VS grelhado (R$ 98) e moqueca caiçara (R$ 76)  

Era um sábado chuvoso no Rio de Janeiro, pós noite forte de Rock in Rio, e encontramos por indicação de uns amigos o lugar que estávamos exatamente procurando: ambiente despreocupado, petiscos gostosos, vinhos levinhos e o principal, pratos cheirosos e bem feitos.

Leia também
Capadócia: tempero turco na serra gaúcha | Caxias do Sul
Porto do Contrato: frutos do mar em casarão histórico no centro | Florianópolis

Em forma de um casarão colorido em uma esquina de Ipanema, Zazá é aquele lugar para celebrar as pequenas felicidades ordinárias da vida, de maneira descontraída e cheia de amor aos detalhes. O lugar é uma explosão de cores e sabores, explorando temperos e ingredientes árabes com a leveza da gastronomia brasileira tropical. Simplesmente uma gracinha carioca. 

A decoração é toda fofa, puxando para uma vibe mais hippie e boêmia, no sentido de oferecer momentos sem regras ou padrões. Esse ambiente descolado e jovial transporta a um estilo de vida hedonista e alegre. 

Não soubemos definir exatamente sua gastronomia, mas mescla uma culinária marroquina com brasileira tropical, focada em ingredientes naturais e frescos em forma de pratos leves com frutos do mar. Dá pra sentir o amor e dedicação postos em cada preparo dos pratos.

Depois de abrir os trabalhos pedindo um vinho branco, nada melhor do que ir beliscando umas entradinhas, né. Então pedimos para começar uma tábua de tapas para comer com as mãos (R$ 75). O prato é $algadinho, mas veio beeem servido! Além de vir uma linda tábua cheio de aromas frescos,  a quantidade de cada belisquete era generosa.

Vinha coxa de frango pururuca, rosbife, cogumelos braseados, duo de houmus clássico e de coentro (maravilhooso mix), algumas tirinhas de picles, cebola confitada no capim-limão, folhas orgânicas. Ah, além desses pãezinhos indianos chamados de chapati,  fininhos e leves na medida certa para fazer um belo recheio com o resto dos ingredientes da tábua! Baita composição.

Ainda no estágio de entradas, resolvemos pedir croquetas de cordeiro (R$ 45) e tapiocas (R$ 29), tudo para compartir entre os amigos.As croquetas estavam sensacionais, eram seis unidades extremamentes cremosas por dentro e crocantes por fora. Além de virem em cima de chutney de tamarindo, disposto em pequenas quantidades - perfeitas para cada croquete - e excelentes para quem gosta de sabores agridoces.

As tapiocas que vem em seis unidades recheadas de queijo coalho e tomatinhos com dip de tangerina e gengibre nos relembram o quão saborosa é a nossa culinaria tipicamente brasileira.

Aí começamos os pedidos dos pratos principais, que fizemos questão de pedir um diferente por pessoa para conseguir provar ao máximo! 

Esse prato de altíssima produção era o camarão VS grelhado (R$ 98), servido com acompanhamentos e temperos bem marroquinos: labne e arroz negro perfumado com limão, coentro e leite de coco. Uma mistura incrível de sabores.

Dá para sentir a cremosidade desse prato de longe, né. Esse foi o "Nossa Interpretação de Shishbarak" (R$ 89), composto por paleta de cordeiro braseada com especiarias, sobre ravioli de batata baroa com molho de iogurte trufado, hortelã e amêndoas crocantes.  

Confesso que os ingredientes nos deixaram com água na boca ao ler no cardápio, mas não sabíamos o que era o tal shishbarak de fato. Pesquisando depois, descobrimos que é um prato tradicional libanês, feito basicamente a base de pequenos bolinhos de massa recheiados com carne.

Pois bem, foi uma adaptação e tanto, ein. Esse prato era do meu namorado e ele saiu altamente feliz com seu pedido. 

Esse prato que mais parece uma obra de arte disposta de forma abstrata é o Polvo na chapa (R$ 95). Com batata baroa corada, brócolis grelhado, azeitonas pretas, pasta de alho e pesto de manjericão, esse era a minha segunda opção. Estava simplesmente maravilhoso, além de ser super leve e fresco.

Aí chegamos ao meu: Moqueca Caiçara (R$ 76). Admito que sou de ficar horas na indecisão dos cardápios, mas me deu uma vontade absurda de comer algo bem molhada e temperado. E posso dizer que acertei em cheio.

A moqueca era de banana da terra com lula e peixe branco, servida com arroz de coco e farofa de maracujá. Sério, que prato delicioso. O arroz - cheio de lascas de coco - ainda vinha separado, podendo ser adicionado à medida que ia comendo, para não errar na porção e deixar as garfadas secas. A mistura da banana com os frutos do mar estava na proporção ideal, tornando um agridoce bem suave na boca.

Depois dessas horas incríveis passadas ao redor da mesa tenho uma certeza: o Zazá estará novamente nos planos na minha próxima ida ao Rio de Janeiro.

É um lugar tão positivo, em todos os sentidos, que faz qualquer um deixar seus problemas de lado -pelo menos por algumas horas-.

ZAZÁ BISTRÔ TROPICAL
Endereço: 
R. Joana Angélica, 40 - Ipanema, Rio de Janeiro - RJ
Telefone: (21) 2247-9101
Horários de funcionamento: de segunda a quinta, das 18h30 às 00h; e de sexta a domingo, das 12h as 18h e das 19h as 00h
Site: http://www.zazabistro.com.br/ 
Facebook: zazabistro/
Instagram: @zazabistro

***
Se você gosta de comer e beber bem, e de falar sobre isso, vai gostar também do nosso podcast. O Foodcast é um papo descontraído da equipe de Destemperados sobre gastronomia, dá o play aí!

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

RS Antonella Nery