25/07/2019

10 perguntas para os proprietários do Ratskeller Baumbach

Victoria Campos

O casal, Vera e Orlando Baumbach, fundou o Ratskeller Baumbach, restaurante de culinária alemã, em 1967 e até hoje estão no comando do negócio ao lado da família. 

Leia também
10 perguntas para o casal de ex-proprietários da La Gourmandise
8 perguntas para o senegalês Abdoulaye Fall

Como você definiria a família Baumbach?
Uma família que deu certo. Apesar de todas as dificuldades, com trabalho e perseverança conseguimos nos estabelecer financeiramente e profissionalmente, mesmo sem muito estudo. Éramos colonos, simples, mas com muita garra, inteligência e vontade de vencer.

Quem da família trabalha atualmente no restaurante e em quais funções?
Todos da nossa família trabalham no restaurante. São três gerações atuando ativamente à frente do Ratskeller. Nossos clientes conhecem a todos nós, estamos sempre presentes atuando e bem recebendo a todos. Minha esposa Vera e eu, fundadores do Ratskeller Baumbach, continuamos em atividade até hoje, eu cuidando da manutenção e marcenaria do restaurante. Dona Vera cuida do caixa e produz as nossas famosas cucas. Nossa filha Raqueli, está à frente da administração e dos eventos, e seus dois filhos, nossos netos, Matheus e Felippe, estão auxiliando na cozinha. Matheus já atua como chef, e Felippe, o mais novo, está seguindo os caminhos do irmão e o gosto que tomaram pela culinária e por seguirem com o negócio dos avós. Este está cursando gastronomia e auxilia na cozinha eventualmente.

Na sexta-feira será comemorado o Dia dos Avós, tem alguma comida que faça você se lembrar dos seus?
Na nossa época era tudo muito diferente de hoje. Nossas famílias eram muito grandes, vários filhos e sem muita regalia ou diversificação de cardápio. Aliás, na verdade, naquela época não havia esta liberdade ou preocupação com o que os netos queriam ou gostavam de comer. Era o que se tinha ou se podia fazer. Mas lembro muito bem do tradicional prato de pernil de porco na panela de ferro servido com massa feita em casa e batata inglesa. Já minha esposa, tem na lembrança a tradição do pão com banha e açúcar cristal que sua mãe, minha sogra, servia junto com suas cucas e bolos.

Como é a relação de vocês com os seus netos? Quais os principais ensinamentos que vocês passam a eles?
Sempre foi ótima e muito próxima, afinal eles se criaram dentro do restaurante convivendo diariamente conosco. As panelas eram um dos brinquedos prediletos deles. Sempre fizemos questão de ensinar aos nossos netos a importância do trabalho e da perseverança, mostrando a eles que nada vem fácil, é preciso dedicação. Que a humildade, simplicidade e a família são valores fundamentais para sermos pessoas bem sucedidas.

Desde os anos 60, quando foi inaugurado um Ratskeller na Cristóvão, existe algo que não mudou até hoje?
Até hoje mantemos a qualidade dos nossos pratos, tanto que têm alguns pratos como o filé ao molho de champignon que nossos clientes brincam que é o mesmo desde 1967. Nossa missão nunca mudou, que é entregar uma gastronomia a altura do que vendemos.

Você teria alguma história que lembre sempre e que seja especial, relacionada a família, que envolva o restaurante?
O momento mais marcante para nossa família relacionada ao restaurante, apesar de termos vários, seria a grande conquista da nossa sede atual na Av. Pará, pois naquela época não conseguimos empréstimo, então a única forma de comprar o terreno e levantar o restaurante foi com o nosso trabalho. De 1982 a 1989, durante sete anos, tudo que ganhamos trabalhando na Sociedade Suíça era investido na construção dessa sede própria. Toda a construção teve meu acompanhamento, além do fato de eu mesmo ter feito toda a marcenaria interna e móveis do restaurante existentes até hoje.

Como você imagina o Ratskeller daqui a 10 anos?
Imagino que daqui a 10 anos o Ratskeller continuará com a mesma qualidade ou até melhor, pois se deu certo conosco que não tivemos acesso a tanto estudo e tecnologias, imagine agora que tem profissionais a frente de todas as áreas e nossos netos cheios de valores e uma visão mais empreendedora.

O que o Ratskeller faz como ninguém?
Antes de tudo, nós acolhemos nossos clientes em nossa casa, pois é assim que sentimos. E isso fazemos como poucos. Por isso temos tanta preocupação e dedicação em bem servir e em pensar nos mínimos detalhes. Já no que refere-se aos nossos pratos, o típico joelho de porco e o pato assado, são algumas de nossas maiores referências.

Qual o segredo para ser um dos melhores restaurantes de comida alemã da cidade, há mais de 50 anos?
É simples como nós: é o gosto pelo que fazemos e pelas pessoas que atendemos. Assim mantemos nossa qualidade e nossa referência em atendimento.

Qual o legado que você gostaria de deixar para as futuras gerações da família Baumbach?
Gostaria que as futuras gerações seguissem sabendo que é preciso preparar a terra e esperar a hora certa para se plantar. E jamais sair para passear na hora da colheita. Além de saber ganhar, é preciso saber como gastar. Muitos pais de hoje tem a ideia errada de poupar seus filhos do trabalho que passaram, dando a eles de tudo e de maneira fácil. Assim, criamos uma geração despreparada, que não dá o real valor ao trabalho.

***
Se você gosta de comer e beber bem, e de falar sobre isso, vai gostar também do nosso podcast. O Foodcast é um papo descontraído da equipe de Destemperados sobre gastronomia, dá o play aí!

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro:

RS Victoria Campos