07/02/2019

No seu tempo | Luiz Américo Camargo

Destemperados

Já comentei, em colunas recentes, sobre desejos para 2019. Imagino que quase todo mundo deva fazer algum tipo de resolução para se alimentar melhor a cada novo ano. Cozinhar mais em casa, por exemplo – e eu tenho minhas dicas.

Sempre uso o tempo a meu favor. Faço pratos ou muito rápidos, ou muito lentos. E, assim, quando preparo as refeições, consigo conciliar trabalho e atividades variadas com o fogão. Exige alguma organização da sua parte, claro. E que a geladeira e a despensa não estejam a zero. Planejando, vai (aprendi fazendo pão).

Leia também:
Existe amor na imperfeição | Diogo Carvalho
Em busca da fartura | Luiz Américo Camargo

Quando digo rápido, falo em 15 minutos. Primeiro, você pensa, define. Aí, é separar os acessórios, pegar os ingredientes, ordenar os procedimentos. Há coisas que demoram mais, que devem ser as primeiras da fila: como colocar água para ferver, ou descascar e picar. Escalonando, é possível executar vários passos simultaneamente.

Se você dispõe de uma panela tipo wok e uma chama forte, consegue realizar uma larga gama de pratos ao estilo asiático. Tendo molhos como shoyu ou tarê, mais alho, cebolinha e gengibre, pode cozinhar carne, peixe, vegetais... Sempre com cocções velozes e fogo alto.

Prefere massa à italiana? Então, com espaguete cozido al dente, pimenta-do-reino moída na hora e queijo ralado, dá para fazer um cacio e pepe – o que será sempre melhor do que macarrão pré-frito de pacote. Outra alternativa? A clássica pasta ao pomodoro, com tomate fresco (sem pele, picado), refogado no azeite com alho e manjericão por cinco minutos.

Já os pratos que demoram dão certo trabalho para começar. Depois, eles deixam você livre, porque o tempo faz o resto. Exemplo? Chegando em casa à noite, faça um esforço e arrisque um ragu (de carne, linguiça...). Você encaminha tudo, reduz o fogo e deixa lá. Na hora de dormir, é só guardar na geladeira para, no dia seguinte (fica mais gostoso), servi-lo no almoço, com polenta, purê... Ou quem sabe um assado – costela bovina, ou paleta suína, digamos –, que possa ser colocado no forno cedinho, para estar pronto depois do meio-dia.

É melhor do que comprar prato pré-pronto. E quem sabe mais rápido do que o delivery.

Receba nosso conteúdo!

Digite um nome válidoDigite um nome válido
Digite um e-mail válidoDigite um e-mail válido

Cadastro efetuado com sucesso!

Erro no Cadastro!

Email já cadastrado!

Mail Chimp erro: